Papel do Analista de Negócio em GP!

Na empresa em trabalho atualmente a equipe de PMO chama-se Gestão Estratégica, na realidade esta equipe é a junção do PMO contendo os gerentes de projetos e de uma equipe de Analistas de Negócios com grande experiência de negócio e relacionamento com clientes.

A idéia de buscar juntar o Analista de Negócio junto com os gerentes de projetos é de enriquecer o conhecimento de negócio, refinar requisitos, buscar verdadeiras causas de problemas e necessidades dos clientes.

Atualmente existe um instituto internacional de análise de negócio denominado The International Institute for Business Analysis – IIBA® demonstrando como o analista de negócios se comporta, as suas habilidades e como ajudar a melhorar os resultados dos projetos.

A análise de negócio visa completar as informações entre o levantamento de informações que irão formar o escopo do projeto. O analista de negócio deve buscar informações da causa dos problemas ou das verdadeiras necessidades do cliente através de ferramentas como brainstorming e diagramas de causa e efeito e entrevistas com clientes. Além de completar as informações de escopo e tarefas do projeto o analista de negócio ajuda a companhar o andamento do projeto atuando na execução e controle juntamente com o gerente de projetos. O analista de negócios também participa dos testes e aceites das entregas antes da entrega final ao cliente.

Em contra partida o gerente de projetos deve aproveitar o conhecimento de analise, modelagens, relacionamentos com clientes , conhecimento tecnológico, conhecimento de negócio, etc, do analista de negócio desde os requisitos, contratações, planejamentos e execução. Aplicando essa idéia a TI , o analista de negócio participa anteriormente ao analista de sistemas no levantamento e rastreabilidade dos requisitos, necessidade e características funcionais e não funcionais.

Como normalmente o PMO é um centro de custo onde é difícil negociar o custo das horas de gerenciamento de projetos para com os clientes, o analista de negócio alocado nesta equipe acaba por ser um custo (normalmente alto pois estes recursos são caros) o qual não agrega valor diretamente como mão de obra, os seus benefícios normalmente são verificados no decorrer dos projetos, onde os valores veem em ganhos de produtividade de projetos pois retrabalhos no período de requisitos custam em média 20% a mais, na fase de desenvolvimento normalmente custam de 40% a 60% a mais e nas fases de testes podem até passar de 100%.

Essa idéia talvez não se aplique a todo tipo de empresa, no caso de TI a utilização do analista de negócio na fase inicial traz um retorno significativo quanto ao aproveitamento dos projetos e o aceite final dos clientes. Pense nessa idéia!

Caso queira se aprofundar mais no assunto leia a matéria da revista Mundo PM ano 5 n° 28 – Ago/Set 2009 Analise de Negócio em Gerenciamento de Projetos.

Att.

Marcus Machado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Riscos Inevitáveis

A Batata quente!

PMP Certified!